Os riscos de dormir de lado são semelhantes a dormir de barriga para baixo. Essa posição é instável e muitos bebês rolam e ficam de barriga para baixo. Se uma criança está deitada de barriga para cima e se afoga, sua tendência, por instinto, é tossir e com isso chamar a atenção dos pais. No caso da morte súbita, essa reação não acontece e a morte se dá de forma “silenciosa”.


Conheça algumas dicas para prevenir a morte súbita:

alt alt alt
Cuidados na hora de dormir Não exposição ao cigarro Amamentação exclusiva
até os 6 meses de idade

 

Cuidados na hora de dormir


Colocar o bebê para dormir com muita roupa é um dos fatores de risco de morte súbita. É importante ficar atento as seguintes recomendações na hora de vestir seu bebe para dormir:
- Evitar o excesso de roupas e fraldas que possam dificultar os movimentos do bebê e superaquecer.
- Deixar os braços do bebê livres, para fora das cobertas, assim, evita-se que ele deslize na cama e fique com a cabeça embaixo das cobertas.
- Deixar a cama livre de almofadas, travesseiros, “cheirinhos” (paninhos usados por algumas crianças para dormir), bichos de pelúcia e outros brinquedos que possam dificultar a respiração do bebê.
- A temperatura do quarto deve ser confortável para um adulto vestindo roupas leves. O bebê não deve parecer quente ao ser tocado.

 

Não exposição ao cigarro


Os pais devem evitar a exposição do bebê, durante a gestação e após o seu nascimento, ao fumo e fumaça. Essa é uma ação que diminui o risco de morte e ajuda na saúde e no desenvolvimento das crianças.
A exposição à fumaça do cigarro afeta gravemente o desenvolvimento e a saúde das crianças. O bebês de mães que fumaram durante a gestação tem três vezes mais riscos de morte súbita do que os bebês de mães não fumantes. O fumo durante a gravidez aumenta o risco de aborto, partos prematuros e baixo peso ao nascer, assim também como a possibilidade de o bebê sofrer com doenças respiratórias.

 

Amamentação exclusiva até os 6 meses de idade

 

São vários os benefícios do aleitamento materno para o bebê, a prevenção da morte súbita é uma delas.
O leite materno também protege o bebê contra várias doenças, como alergias, diarréias, resfriados e infecções urinárias e respiratórias. Mamar também desenvolve e fortalece a musculatura da boca e do bebê, melhorando a mastigação, o ato de engolir e a fala.
Este é um momento muito especial entre a mãe e o bebê, que fortalece a relação entre mãe e filho e transmite segurança, carinho e o amor que ele precisa para se desenvolver bem.

Até os seis meses, o leite materno é tudo o que o bebê precisa para ficar bem alimentado. Depois dessa idade, é preciso dar leite de peito e também outros alimentos.
Lembre-se: Mesmo recebendo outros alimentos, a criança deve continuar a mamar ao peito até os dois anos ou mais, pois o leite materno continua alimentando a criança e protegendo-a contra doenças.